Chega a China de ouro no halterofilismo

Campeã mundial, ainda júnior, nos -58 kg, em 2010, ano em que venceu igualmente os Jogos Olímpicos da Juventude, a chinesa Deng Wei chegou ao Rio de Janeiro com o bicampeonato mundial nos -63 kg e arrebatou a prova sem surpresa, estabelecendo um novo máximo mundial. Hyo-sim Choe da Coreia do Norte arrecadou a prata, 14 quilos abaixo do recorde hoje estabelecido por Deng Wei ou Wei Deng. Depois da prata de Irina Nekrassova em 2008 e o ouro de Maiya Maneza em 2012, o Cazaquistão parece estar a iniciar uma tradição de pódio olímpico na categoria e desta feita é Karina Goricheva a conquistar o bronze para o país.

A subida das categorias de peso está, finalmente, a trazer os chineses para o topo, como habitual, depois da ausência destes nas categorias mais leves. Nos 69 kg masculinos o triunfo coube a Zhiyong Shi suceder a Guozheng Zhang, Hui Liao e Qingfeng Li como campeão olímpico da categoria, quarto consecutivo. Após a ausência de 2012, a Turquia regressa às medalhas olímpicas no halterofilismo através do naturalizado Daniyar Izmayilov, que esteve nos Jogos de 2012 pelo seu país natal, o Turquemenistão, agora obtendo a prata sob a bandeira turca. O pódio bastante jovem, 22/23 anos, fechou-se com Azzat Artykov do Quirguistão, a quarta medalha olímpica da história no país, primeira no halterofilismo.

Apesar de uma lesão no pescoço, Yanmei Xiang confirmou o seu favoritismo nos 69 kg para recuperar o ouro olímpico para a China, perdido em 2012 para a Coreia do Norte. Depois de Weining Lin (2000) e Chunhong Liu (04, 08). Nesta categoria surgem duas estreias no pódio, o Cazaquistão por Zhazira Zhapparkul, vice-campeã mundial em título, e a egípcia Sara Ahmed, de somente 18 anos, uma das recentes sensações do halterofilismo.

Depois do brilho nas provas jovens Sara Ahmed surge em grande estilo nos Jogos do Rio e bate as rivais pela medalha de bronze.

Os países do pódio dos 69 kg femininos e 77 kg masculinos foram os mesmos, apenas alterando-se a ordem. O campeão em título, Xiaojun Lyu, foi batido pelo cazaque Nijat Rahimov, que confirmou desta forma o título mundial que obteve no ano passado em Houston, observando-se a nova dança excêntrica do seu treinador. Prata em Almaty 2014 e bronze em Houston 2015, o egípcio Mohamed Ihab Mahmoud conquistou o bronze no Rio 2016.

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s